Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Novo Benfica

Novo Benfica

30
Jul09

Jesus, tanta gente!

António de Souza-Cardoso

 

Estou, como tenho dito, muito animado com a nova dinâmica e atitude deste Benfica.

Os jogos já realizados na pré-época são, como também disse, muito prometedores.

Também me pareceu que nesta época houve a preocupação de ter um plantel coerente e equilibrado, onde não faltassem coisas e onde não sobrassem coisas.

Mas a verdade é que todos os dias abro os jornais e vejo mais uma contratação para o Benfica. Ele foi Keirisson, ele é Júlio César, ele será César Peixoto.

E se fico entusiasmado com a novidade de quem entra, fico preocupado com a fatalidade de quem tem que sair. Penso na qualidade e no potencial de Fredy Adu, de UrretaViscaya, de Fábio Coentrão. Penso na inteligência de Ruben Amorim, na visão de Carlos Martins ou na experiência e liderança de Nuno Gomes e começo a reflectir sobre quais destes magníficos jogadores serão sacrificados ao ímpeto renovador de uma Direcção em luta contra o tempo?

Não posso também deixar de ter preocupações sobre estas rupturas tão vincadas e abruptas que ainda no passado recente se revelaram desastrosas. Terá o Benfica a capacidade de acomodar tanta mudança?

Saberá Jorge Jesus equilibrar as expectativas de jogadores de grandes credenciais no Clube, com as novas estrelas que chegam às catadupas e que pedem tempo e jogo para justificarem o investimento feito?

Conseguirá Jorge Jesus o ascendente positivo e motivacional sobre um balneário a abarrotar de gente?

Para não falar das questões financeiras associadas a esta mudança e à necessidade de “fixar” jogadores indispensáveis ao Clube, como Óscar Cardoso e Angel di Maria.

Veremos.

Eu, depois das boas exibições já feitas com um plantel equilibrado como o Benfica parece ter, tinha estancado o ímpeto renovador e apostado, isso sim, em arrumar a casa. Em olhar para a Organização. Em varrer com o que não serve e reconstruir uma nova cultura de exigência para dentro e para fora. Para ver se dentro de casa assumimos coerentemente as nossas funções e responsabilidades e fora de casa somos capazes de exigir respeito pelo Benfica e pela verdade e transparência no futebol.

Mas pode ser que todas estas preocupações representem só o fatalismo ou a maledicência do meu lado escaldado.  

António de Souza-Cardoso

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D