Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novo Benfica

Novo Benfica

06
Abr09

SOS

Pedro Fonseca

Tinha previsto escrever sobre uma sondagem referente a “marcas” e a sua penetração no mercado português, que apresentou resultados curiosos, e que foi divulgada nos jornais. Mas a fervilhante actualidade em torno do Benfica obrigou-me a mudança de planos.

 

As declarações de Quique Flores, sábado publicadas na imprensa, são algo do domínio do absurdo. O treinador espanhol já as veio parcialmente desmentir, na conferência de imprensa após o jogo de ontem contra o Estrela da Amadora, mas isso, por si só, não apaga o que foi dito e registado.
À pergunta se para ele “chega fazer melhor do que na última época, mesmo não sendo campeão?”, o treinador espanhol respondeu: “Sim, porque quando melhoramos os registos é sinal de que estamos melhor” (in “A Bola”, de ontem).
Bom, para os mais distraídos e esquecidos cabe lembrar que na última época ficamos em 4º lugar. Ou seja, Quique acha que se ficar em 3º é “injusto mandá-lo embora”. Ontem, na Amadora ficou perplexo porque tiraram as suas frases do contexto. Disse que o objectivo do Benfica é lutar sempre pelo máximo, mas voltou a frisar que está a fazer melhor que o ano passado.
Tive sempre a ideia de que o jovem Quique não percebeu a que clube veio cair. Apesar de ter jogado no Real Madrid, onde homens como D. Alfredo Di Stéfano ou Jorge Valdano ou Camacho poderiam ter sido bons explicadores, Quique vê-se que “não quis ouvir, nem quis ver”.
Será que ninguém no Benfica se deu ao trabalho de o ensinar? Mesmo assim, que diabo!, as fotografias colocadas nas paredes dos corredores da Luz deviam fazer luz no espírito do espanhol.
Eu sei que nos tempos que correm é estultícia pensar que se pode mandar um treinador embora só por um deslize linguístico. Quem gere sabe que os contratos são para cumprir e que uma rescisão acarreta sempre custos elevados.
O problema é que, muitas vezes, manter este estado de coisas traz custos muito mais elevados, mesmo inquantificáveis. Escrevi há uns tempos neste espaço que o Benfica é um clube a duas velocidades.
Não se pode estar a lutar pela verdade desportiva e, depois, a equipa no terreno não se mostrar capaz de ser a retaguarda forte desta batalha. Sejamos claros: Luís Filipe Vieira tem estado sozinho na luta pela verdade e pela transparência no futebol português.
Aquela que devia ser a muralha de protecção do Presidente do Benfica, a equipa principal de futebol, tem falhado em toda a linha. Os adeptos, sócios e simpatizantes, não têm faltado, como se viu recentemente em Almodôvar, mas esses também se podem rapidamente cansar se não virem sinais claros de mudança.
Acredito, quero acreditar, que ainda vamos conseguir o “prémio de consolação”, o 2º lugar, que pode dar entrada na Liga dos Campeões. Contudo, isso não pode servir para passar uma esponja sobre o que de muito negativo ocorreu durante a época.
Questiono-me sobre se a actual estrutura do Benfica pode dar garantias de êxito futuro. Um exemplo: a “equipa de olheiros” que veio há dias revelada no jornal “A Bola” não lembra a ninguém (com a excepção de Pietra, gostava de saber quais as competências específicas dos restantes). Enfim, muitos outros exemplos podiam ser dados, mas vamos esperar para ver.
E pedir aos jogadores um bocadinho mais de empenhamento, para continuarmos a lutar pelo título, será pedir muito? Mas, claro, quando o líder não dá o exemplo, o melhor mesmo é começar a acreditar em milagres.
Post-Scriptum: A primeira página do jornal “A Bola” de hoje diz tudo: “Exibição Miserável”. Que todos tenham consciência e um pouco de vergonha na cara.
05
Abr09

Angústia existencial:).

Júlio Machado Vaz

Sem por um momento beliscar o extraordinário profissionalismo dos jogadores do Estrela - irra!, que raro talento é preciso para jogarmos tão pouco?:(.

 

P.S. Como previ, o Novo Benfica vive já uma paixão arrebatadora pelo acto eleitoral. Mantenho o que disse - até ao fim da época não entro nesse eléctrico. E depois só me debruçarei sobre candidaturas reais e não putativos candidatos, sejam eles o Bruno,  Bagão Félix, Luís Filipe Vieira ou outros. Quero poder analisar projectos e equipas. Não acho que o pedido seja um capricho, nesta ou em qualquer eleição...

03
Abr09

Fim de Semana Decisivo...mais um

Paulo Ferreira

Este fim-de-semana o Benfica está numa posição privilegiada. Joga no Domingo depois de Porto e Sporting já terem jogado, e ambos com deslocações complicadas. Nesta altura, e infelizmente mas tristemente habitualmente, o Benfica já não depende só de si, por isso tem de estar à espreita de deslizes e…aproveitá-los.

 

A deslocação do Benfica, a casa de uma equipa que não treina há duas semanas, só pode resultar numa concludente vitória. Por mais brio que o adversário tenha, qualquer coisa que não seja uma boa vitória será simplesmente vergonhoso. E algo menos que uma atitude de grande empenhamento será uma afronta aos profissionais (?) do Estrela da Amadora que vão com 7 meses de ordenados em atraso.

 

Tenho algumas esperanças de sair desta jornada com uma ténue esperança no título!

 

Mas é um facto que no Benfica existe um sentimento de frustração. Depois de Bruno Carvalho ter considerado que chegava o momento de dizer basta, é hoje a vez de se conhecer através da comunicação social a intenção de aparecer uma nova lista, cheia de “ilustres” e que tenta que o sei líder seja Bagão Félix. Este é um claro sinal que existem bastantes benfiquistas que consideram que o Benfica pode e deve estar e ser melhor.

 

Por mim, acho óptimo que apareçam alternativas! Em democracia elas fazem falta e mesmo que no final fique tudo na mesma, “obriga” a que quem está faça cada vez melhor.

E se tudo estivesse perfeito duvido que aparecessem estas alternativas! (verdade seja dita que se estivesse tudo mal como quando Vale e Azevedo saiu, poucos seriam os corajosos que lançavam o peito às balas).

 

Sendo que eu continuo a preferir “sangue” e ideias novas ao invés de mais do mesmo. Também este “ciclo” deve ser quebrado na minha opinião por mais valor que possa ter.

 

Tenho alguma curiosidade sobre o que dirão os que aqui criticaram o Bruno por aparecer e lhe chamaram “abutre”, “profeta da desgraça”, “oportunista” e outros tantos adjectivos. O que será que dirão agora a confirmar-se a notícia?

 

Seguramente, o Benfica necessita de dar o salto que lhe falta e de se reconciliar com o seu grande passado, construindo um melhor futuro.

 

E este futuro passa por 5 eixos na minha opinião:

  1. Política de Contratações mais adequada e Dividendos do investimento na formação
  2. Maior exigência e Responsabilização que se traduza em cultura de vitória
  3. Controlo do Passivo, através de melhor gestão do ponto 1) e obtenção de melhores resultados que permitam aumentar receitas
  4. Controlo da Actividade das Modalidades (o que de resto tem vindo a ser feito)
  5. Vencer por hábito e exigência

Neste sentido, e quando existe uma necessidade de continuidade com o que tem sido feito, mas de ruptura em outros aspecto, parece-me que fazer eleições com a época em pleno não se afigura muito interessante. Se houver uma mudança de liderança podemos estar a falar de mais uma época perdida, como já aconteceu anteriormente.

 

PS1 – Falei acima no Estrela da Amadora e o exemplo envergonha-me e devia envergonhar a todos. Que existam ordenados em atraso aceito (com dificuldade) que não se consiga pagar o 1º ou 2º mês de uma época é de uma falta de seriedade inqualificável porque revela que quem selou compromissos não só não tinha a certeza de não os poder pagar, como nem sabia se os podia COMEÇAR a pagar! Alguém ponha mão nisto!!!

 

PS2 – Como previ anteriormente e infelizmente vamos ver o Mundial na Televisão. Era tão óbvio que se torna assustador…

 

Saudações Benfiquistas,
Paulo Ferreira

 

02
Abr09

ELEIÇÕES ANTECIPADAS

Bruno Carvalho

 

Como todo o Universo Benfiquista sabe, este ano é ano de eleições para a Direcção do Sport Lisboa e Benfica, tendo eu já anunciado a minha candidatura a Presidente da mesma.
 
Nos estatutos do Clube está previsto que decorra o acto eleitoral no mês de Outubro, mais precisamente, entre o dia 24 e o dia 31.
 
Contudo, as eleições nesta data constituem um problema.
 
De facto, este calendário eleitoral compromete definitivamente o sucesso da próxima época.
 
Como está bem demonstrado, Luís Filipe Vieira não é capaz de montar uma equipa ganhadora, nem mesmo contando com a ajuda de Rui Costa.
 
Como há eleições, o Benfica irá voltar a gastar mais do que deve e do que pode.
 
Luís Filipe Vieira irá mais uma vez recorrer à lógica da propaganda pura, tentando entusiasmar, novamente, os adeptos, prometendo-lhes mais um “novo ciclo”.
 
Todos já sabemos os resultados desses “novos ciclos”: a seguir às promessas sucedem-se sempre as desilusões.
 
É por isso que eu não quero perder mais tempo.
 
Não quero que o Benfica continue adiado.
 
Por isso, digo com toda a frontalidade que as eleições devem ser antecipadas para Junho.
 
Deste modo, eu e a minha equipa, se merecermos a confiança dos benfiquistas, poderemos ter total responsabilidade na preparação da próxima época.
 
Sei que sou menos conhecido que Luís Filipe Vieira e que o tempo corre contra mim.
 
Quanto mais tarde forem as eleições mais tempo terei para dar a conhecer o meu projecto e as minhas ideias.
 
No entanto, isso poderá ser bom para mim, mas será mau para o Benfica.
 
Assim, e tendo em mente apenas os superiores interesses do Benfica, deixo aqui o meu alerta: ANTECIPEM-SE AS ELEIÇÕES.
 
Desse modo, ganhando as eleições poderei preparar o Benfica para uma vida nova já na próxima época. Um Benfica ganhador.
 
Saudações Benfiquistas,
 
Bruno Carvalho
 
01
Abr09

Paredes de Vidro e Toalhas no Chão!

António de Souza-Cardoso

Uma das questões porque me tenho batido mais na construção de um “Novo Benfica” é pela urgente adopção de uma cultura de Organização diferente daquela que tem servido o clube nos últimos anos:

Onde o rigor e o mérito prevaleçam;

Onde a gestão seja orientada para resultados e não resultado de orientações mais ou menos incoerentes;

Onde exista um planeamento de médio e longo prazo que se sobreponha á frivolidade de novos ciclos feitos, primeiro de sonhos e depois de cinzas.

Onde a competência e a responsabilidade de cada dirigente seja assumida na exacta proporção da hierarquia e do protagonismo. O primeiro de todos no Benfica tem que ser o melhor de todos e, principalmente, aquele que por tudo e por todos está apto e disposto a responder.

Onde não haja medida para os valores do trabalho, da dedicação e da disponibilidade.

Onde os jogadores corram, atrás da bola até um minuto depois de acabar qualquer jogo de qualquer competição, independentemente de estarem a ganhar por 10 ou a perder por 20.

Onde jogadores, treinadores e dirigentes se sintam os melhores (claro que do Mundo todo) só por serem do Benfica.

Onde não haja conformismo e a crença do vencedor se reabilite.

Onde o Benfica se possa reconciliar com a sua história e a sua grandeza.

Onde se devolva o clube à participação e à vivência dos associados, porque são eles que fazem do Benfica o maior do Mundo.

Onde não se esqueça o ecletismo e a matriz popular e universal que estão impregnadas no código genético do Benfica.

Onde a simplicidade e a discrição se imponham sobre a arrogância e o alarido;

Onde a coragem, a raça e a persistência não deixem que ninguém do Benfica, em circunstância alguma, atire a toalha ao chão.

Os últimos dias têm mostrado quão longe dessa cultura está, hoje, a Casa do Benfica.

O sentimento em relação a esta época é já de conformismo e de toalha no chão. Evocam-se os segundos lugares de “modalidades segundas” para justificar um Benfica adiado e há 15 anos por cumprir.

Proclama-se como fundamento de tudo a perfídia do sistema, daquele mais obscuro que ninguém comprova (nem os próprios, claro!), porque está para além da alçada de qualquer justiça ou de qualquer tribunal.

Discute-se, ao contrário, com algum cinismo o novo ciclo. E discute-se no sítio errado que é a “Praça Pública”. Com novos jogadores que de tanto serem anunciados acabarão por nunca vir. De outros que virão por preços que a notícia especulou e o Benfica mal pode pagar.

A Casa do Benfica é hoje, infelizmente, feita de paredes de vidro. De jogadores que dizem que vão para o Benfica, de outros que a ele regressam, de muitos que dele saem sem que se saiba que proveito lhe trouxeram.

A Casa do Benfica é hoje, infelizmente, feita de conformismos, complacência, irresponsabilidade e desistência.

A toalha caiu, ninguém fala já em ser campeão.

A Casa do Benfica é hoje, infelizmente, de paredes de vidro e toalhas no chão.

  

António de Souza-Cardoso

 

Pág. 3/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D