Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Novo Benfica

Novo Benfica

17
Mai10

CLUBE DE PORTUGAL E DO MUNDO

Pedro Fonseca

Vamos ao que verdadeiramente interessa.

O Benfica Campeão fez reencontrar o clube com a sua matriz genética, com a sua história, com o seu destino de vencer.

Mas, depois de deitados os foguetes, depois da festa, é preciso perceber que os tempos modernos exigem a lucidez de uma mensagem, o rigor de uma palavra, a estratégia de um discurso, o rumo de uma intervenção.

Luís Filipe Vieira, na conferência de Imprensa após o último jogo; na cerimónia na Câmara Municipal de Lisboa; e agora nesta visita histórica a Timor-Leste, teve essa lucidez, esse rigor, essa estratégia e esse rumo.

Hoje, os tempos modernos exigem líderes diferentes.

O carisma, a obra, os resultados, são importantes, sempre o foram.

Mas, agora, é também decisivo num líder, saber passar a mensagem.

A mensagem mobiliza, aglutina, contextualiza, explica e esclarece – define um rumo e traça uma estratégia.

O actual Presidente do Benfica percebeu isso, primeiro que ninguém.

Quando Vieira diz que “o Benfica não é do Norte, nem do Sul, é de Portugal”; “o Benfica não divide o País”; ou “o Benfica tem as suas raízes em Lisboa mas é um clube do Mundo, não se deixa fechar na sua cidade”, sabe o que diz e porque o diz.

O Benfica foi sempre um clube nacional, suportado pelas suas históricas vitórias em Portugal e na Europa. Mas, os seus presidentes (a maioria, pelo menos) tiveram sempre um comportamento e um discurso lisboeta.

As vitórias em catadupa evitavam, porém, que o clube se fechasse na sua cidade.

Antes de Vieira, o Benfica teve dos presidentes mais lisboetas da sua história, com o famigerado Vale e Azevedo à cabeça.

Sem títulos e com uma negra herança económico-financeira para solucionar, Vieira percebeu que o recentrar da mensagem, falando para os benfiquistas de todo o mundo e homenageando-os na hora da vitória (a tarefa eventualmente mais fácil, mas nem por isso menos importante) era um dos pilares do sucesso futuro.

É uma das facetas menos enaltecidas do seu consulado, mas com o seu discurso “nacional” e aglutinador – a que juntou a recuperação financeira e, depois, os títulos – Vieira salvou o Benfica.

Com o seu interminável “tour” junto das Casas do Benfica, Luís Filipe Vieira tornou-se no mais “nacional” presidente da história do Sport Lisboa e Benfica, ele que até é lisboeta de gema.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D