Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Novo Benfica

Novo Benfica

29
Jun08

É Hora de Jogar à Bola!

António de Souza-Cardoso

 

Reconheci já em posts anteriores que sou daqueles benfiquistas que gosta de ganhar em campo.

Reconheci ainda que se houve campeonato em que (independentemente do “colo” final em que andou o Sporting e o Guimarães) o Benfica acumulou erros e não mereceu coisa nenhuma foi o da época que passou.

Por isso defendi, na linha da dignidade e da grandeza que o Benfica deve assumir em quaisquer circunstância, que deveríamos declinar qualquer coisa que nos seja oferecida, mesmo que justa, se para a qual não tivéssemos, em consciência, o suficiente merecimento.

É o caso deste campeonato e do possível e justo afastamento do F.C. do Porto da Liga dos Campeões. Só por questões processuais e por falta de coragem e lisura da nossa Federação não houve a suficiente clareza para a UEFA aceitar, sem réstia de dúvida, que a condenação que o F. C. do Porto de facto teve (e de que não recorreu) foi uma condenação definitiva.

Por isso acho que o Benfica e todos os Clubes e agentes desportivos devem pugnar com determinação e coragem pela, integridade, lisura e transparência no futebol, afastando os batoteiros, e punindo exemplarmente os corruptos e, no geral, todos os que utilizam meios ínvios para influenciar ou modificar a verdade desportiva.

Isto deveria ser o normal e implícito comportamento ético de qualquer Clube. Como é normal e implícito que vamos vestidos, melhor ou pior, a um restaurante e paguemos a conta no fim.

Mas esse não é o nosso principal desígnio. Como vamos ao restaurante para saciar a fome ou para conviver (e não para mostrarmos que temos roupa para entrar e dinheiro para pagar a conta) também estamos no futebol, não para ser guardiões de algo que é óbvio e natural – a transparência e a verdade desportiva, mas antes para jogar a bola com um conjunto de adversários e, de preferência, para lhes ganhar.

Foi isso, ganhar e jogar bem à bola, que fez a grandeza do Benfica e não qualquer sentimento justiceiro ou sonhador que a história guarda para os “Robin dos Bosques” os “Dom Quixotes” e, mais modernamente, para os escritórios de Advogados.

Acho pois e, em suma, que o Benfica deve deixar de ser noticia por motivos que não são essenciais, nem constituem desígnios da instituição que representa. Julgo que seria sensato que mais nenhum dirigente se pronunciasse sobre mais nenhum apito, seja de que cor for.

Isso é assunto que está entregue ao departamento jurídico a quem compete fazer todo o trabalho respectivo, incluindo o de estar atento a algumas “xico-espertices”  que aqui já denunciei.

O que me preocupa agora, é saber como vamos ultrapassar a evidente crise desportiva, dos últimos 3 anos (com dois terceiros e um quarto lugar) e das últimas duas décadas em que perdemos claramente a hegemonia do futebol nacional. O que se está a fazer por isso?

Para além dos requerimentos e dos procedimentos cautelares que ao departamento jurídico dizem respeito, como estamos a constituir uma equipe que tem que ser muito mais competitiva que a anterior?

 Sabemos as más noticias: Dessa equipe pouco competitiva perdemos alguns dos melhores:  Rui Costa, Rodriguez  e, ao que tudo indica, Katsouranis.

Sabemos algumas boas: contamos finalmente com um Director desportivo de qualidade e de grande lealdade ao Clube, temos um treinador jovem e ambicioso contratado antes da pré época e com hipótese de escolher e treinar tranquilamente uma equipe vencedora e temos, finalmente, um situação financeira que nos permite ir mais longe na estruturação de um plantel verdadeiramente competitivo.

Se assim é, então fica um conselho final aos dirigentes do Benfica: Deixemos a justiça para os advogados, os juristas e os juízes (confiemos, vigiando, que eles farão bem o seu trabalho) e vamo-nos concentrar no essencial que é ter uma equipe e um clube novamente ganhadores.

Que é preparar (finalmente) um novo ciclo de um “Novo Benfica” que nos traga mais glórias do aquelas que a memória nos traz.

É, digo eu, hora de jogar à Bola!

 

António de Souza-Cardoso

 

 

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D