Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

Bruno Carvalho em 12/11/09 | comentar | 6 comentários

enke90svv4.jpg

 
Um grande jogador e um indivíduo muito humano.
 
Ficamos todos consternados com a sua brutal morte aos 32 anos.
 
Robert Enke era culto, educado, simples e foi estranhamente bafejado pela desgraça.
 
A vida para ele foi tudo menos leve.
 
Para ele e para a sua família as minhas preces.
 
Bruno Carvalho

 

 




Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

Bruno Carvalho em 29/10/09 | comentar | 28 comentários

 

Benfica - 4 vs. Poltava - 0
Benfica – 8 vs. Setúbal -1
Belenenses – 0 vs. Benfica – 4
Benfica – 5 vs. Leixões – 0
Monsanto – 0 vs. Benfica – 6
Benfica – 5 vs. Everton - 0
Benfica – 6 vs. Nacional – 1
 
 
O Benfica é líder do campeonato.
 
O Benfica tem um ataque esmagador.
 
O Benfica pratica um futebol bonito e galvanizante.
 
Jorge Jesus tem tido um excelente desempenho.
 
As renovações dos contratos dos jogadores do Benfica têm sido feitas com critério, salvaguardando o futuro.
 
Os benfiquistas têm correspondido e têm enchido os estádios por este país fora.
 
Parabéns aos dirigentes do Benfica.
 
É assim que eu quero ver o Benfica sempre.
 
Saudações Benfiquistas,
 
Bruno Carvalho
 



Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

Bruno Carvalho em 01/10/09 | comentar | 10 comentários

 

 
No momento em que o Novo Benfica atingiu as 500 mil visitas, partilho, com todos, este texto que recebi há poucos dias:
 
 

“Excerto de uma entrevista de António Lobo Antunes (ALA) à revista Visão onde, às tantas, se evoca a dita "guerra do Ultramar", em Angola, em que o ilustre Autor tomou parte. Não é em vão que este senhor é justamente considerado um dos maiores escritores portugueses vivos. [...]

V: Ainda sonha com a guerra?

ALA: (...) Apesar de tudo, penso que guardávamos uma parte sã que nos permitia continuar a funcionar. Os que não conseguiam são aqueles que, agora, aparecem nas consultas. Ao mesmo tempo havia coisas extraordinárias. Quando o Benfica jogava, punhamos os altifalantes virados para a mata e, assim, não havia ataques.

V: Parava a guerra?

ALA: Parava a guerra. Até o MPLA era do Benfica. Era uma sensação ainda mais estranha porque não faz sentido estarmos zangados com pessoas que são do mesmo clube que nós. O Benfica foi, de facto, o melhor protector da guerra. E nada disto acontecia com os jogos do Porto e do Sporting, coisa que aborrecia o capitão e alguns alferes mais bem nascidos. Eu até percebo que se dispare contra um sócio do Porto, mas agora contra um do Benfica?

V: Não vou pôr isso na entrevista...

ALA: Pode pôr. Pode pôr. Faz algum sentido dar um tiro num sócio do Benfica?”
 
 
Saudações Benfiquistas
Bruno Carvalho
 
PS: Dedico este texto ao Ricardo Araújo Pereira e a outros benfiquistas que se entretêm a dizer mal de mim.

 




Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Bruno Carvalho em 24/09/09 | comentar | 30 comentários

 

Nas passadas eleições para os órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica fui, como toda a gente sabe, candidato à Presidente da Direcção do Clube.
 
Nessas eleições, sob o meu ponto de vista, Luís Filipe Vieira e todos os membros dos órgãos sociais demissionários que se recandidatavam estavam a violar claramente os estatutos do Benfica, uma vez que usaram um expediente da demissão em bloco para antecipar as eleições.
 
Esse “truquezinho” tinha como consequência que quem o praticou não se poderia candidatar a qualquer órgão social do Benfica por um período de 6 anos.
 
Por entender que Luís Filipe Vieira e seus pares estavam a violar grosseiramente a democracia de um clube que sempre teve na democracia o seu pilar, interpus uma providência cautelar, num tribunal de Lisboa, visando suspender a deliberação que tinha aceitado a lista de Luís Filipe Vieira às eleições.
 
Essa providência cautelar foi aceite pelo tribunal, o que significa que o juiz entendeu que havia uma forte probabilidade de eu ter razão.
 
O juiz, ao aceitar a minha providência cautelar, sabia bem que Luís Filipe Vieira ficaria fora das eleições e mesmo assim aceitou-a.
 
Ao Benfica foi comunicada a decisão do tribunal, mas Manuel Vilarinho veio alegar que a citação tinha sido mal feita quando sabia perfeitamente que tal não era verdade.
 
O tribunal de Lisboa decidiu agora que eu tinha razão.
 
O que significa isto?
 
Significa que a citação ao Benfica foi feita de forma correcta, logo a Lista de Luís Filipe Vieira não podia ter concorrido, logo apenas havia uma lista válida do passado dia 3 de Julho – a minha -, logo o Presidente do Sport Lisboa e Benfica deveria ser outro.
 
No entanto, esta decisão vem tarde.
 
Vivemos num país em que a justiça funciona sempre fora de tempo e onde a “xico-espertice” vale a pena.
 
Deste modo, confrontei-me com um problema moral sério.
 
Por um lado, sei que tenho razão e que alguns violaram descaradamente os estatutos do Benfica para obterem a todo o custo o que pretendiam.
 
Por outro lado, se eu continuasse, apesar de ter toda a razão, arrastaria o Benfica para o caos. Por exemplo: todos os contratos feitos por esta Direcção seriam inválidos, teria que haver novas eleições, etc.
 
Perante este cenário, outra alternativa não me restava que por de lado a minha pessoa e colocar em primeiro lugar os interesses do Benfica, o clube que tanto amo.
 
Por isso desisti de tudo.
 
Aqueles que me atacaram brutalmente, dizendo que eu estava a soldo de Pinto da Costa, e outros mimos do género, têm aqui a sua resposta.
 
Se eu estivesse mesmo a soldo desses senhores não hesitaria em levar o Benfica para o caos, até porque, em bom rigor, quem arrastou o Benfica para essa situação foi Luís Filipe Vieira ao violar os estatutos e, com a ajuda de Manuel Vilarinho, não olhando a meios para vencer as eleições.
 
Mas como eu acho que o Benfica está em primeiro lugar, desisti da acção em tribunal para que o Benfica não saísse prejudicado.
 
No entanto, uma coisa é certa, esta nódoa acompanhará sempre Luís Filipe Vieira e esta Direcção.
 
Sei que para os sócios, como foi claramente demonstrado no passado dia 3 de Julho, estas coisas pouco interessam.
 
Vivemos numa sociedade em que a honra é um valor que há muito deixou de interessar para muita gente.
 
É pena.
 
Quem se queixa dos métodos dos outros que fazem tudo para ganhar, não deveria ter um Presidente eleito desta forma.
 
Os resultados desportivos, neste momento, servem para tudo encobrir, mas eu sonho com um Benfica diferente e não será este episódio que fará desmoronar este meu sonho.
 
Saudações Benfiquistas,
 
Bruno Carvalho
 
 
PS 1: Carlos Azenha foi despedido do Setúbal. Deixo-lhe aqui um forte abraço de solidariedade e apoio. Gostava de relembrar a alguns, que ficaram muito satisfeitos com esse facto, que Jorge Jesus também já foi despedido desse mesmo Setúbal. É o futebol!
 
PS 2: Pedro Fonseca escreveu no seu último texto: “E vão 5 jogos, mais 3 pontos e uma postura onde se deve realçar a raça, a crença, a vontade, o empenho, o profissionalismo. Tudo atributos que estavam arredados do Benfica há muitos e muitos anos.” E eu pergunto ao Pedro, então porquê que esses atributos estavam afastados há tantos anos? O Presidente não era o mesmo? Foi preciso eu falar para que Luís Filipe Vieira acordasse e começasse, por exemplo, a ir aos jogos?



Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Bruno Carvalho em 17/09/09 | comentar | 17 comentários

 

 

Após uma prévia consulta aos meus companheiros de blog, decidi voltar a escrever no Novo Benfica, o que acontecerá todas as quintas-feiras a partir de hoje.
 
É com gosto que regresso a um local de onde verdadeiramente nunca parti e agradeço a todos os elementos do painel que aqui escrevem regularmente a reacção que tiveram quando lhes comuniquei a minha intenção de aqui voltar a colocar os meus pensamentos sobre o Benfica.
 
Gostava apenas de avisar que alterarei a minha política relativamente aos comentários.
Apenas publicarei comentários que tenham a ver com o Benfica e não publicarei nada de pessoal, seja
 
Na próxima semana começarei a compartilhar com todos a minha visão sobre o nosso Benfica.
 
Saudações Benfiquistas
 
Bruno Carvalho

 




Terça-feira, 2 de Junho de 2009

 

Gostava de começar por saudar todos os habituais visitantes do Novo Benfica e informar-lhes que abri, há poucos dias, o site da minha candidatura à Presidência do Sport Lisboa e Benfica. O endereço é o seguinte: www.brunocarvalhopresidente.com
 
Terei muito gosto em vê-los por lá e receber todos os contributos que me quiserem dar para a minha candidatura.
 
Por outro lado, e na sequência das notícias divulgadas na comunicação social de que alegadamente não reunia os requisitos estatutários necessários para a apresentação da minha candidatura à Presidência do Sport Lisboa e Benfica, venho dar conhecimento a todos os Benfiquistas de que solicitei um Parecer Jurídico sobre esta questão ao Exmº. Senhor Dr. Paulo Mota Pinto, Professor de Direito da Universidade de Coimbra, o qual atesta, de forma peremptória e categórica, a minha inquestionável capacidade electiva para o exercício do cargo de Presidente do Benfica, o que faz nos termos das conclusões que passo a transcrever.
 
De referir que o Sr. Dr. Paulo Mota Pinto é provavelmente a pessoa mais reputada nesta matéria em Portugal.
 
Bruno Carvalho
 
 
Paulo Mota Pinto
Professor da Faculdade de Direito
da Universidade de Coimbra
 
 
PARECER JURÍDICO
SOBRE A CAPACIDADE ELEITORAL PASSIVA PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DO
SPORT LISBOA E BENFICA
 
 
CONCLUSÕES
 
Estamos agora em condições de enunciar, em síntese, as conclusões a que fomos chegando, já devidamente justificadas e desenvolvidas. Assim:
 
1) Os Estatutos do BENFICA distinguem entre sócios efectivos e sócios auxiliares, incluindo nestes os sócios correspondentes nacionais, apenas os sócios efectivos usufruindo de todos os direitos associativos;
 
2) Os Estatutos do BENFICA devem ser interpretados de acordo com critérios objectivos, considerando apenas os elementos que em geral podem ser conhecidos pela generalidade dos associados, sem considerar decisivos elementos históricos ou o entendimento subjectivo de determinado órgão social;
 
3) Um dos direitos dos sócios, previsto nos Estatutos, é o direito de ser eleito para os órgãos sociais do CLUBE, mas apenas é atribuído aos “sócios efectivos com mais de cinco anos consecutivos de filiação associativa”, como resulta do artigo 12.º, n.º 1, alínea d), e n.º 2 (2.ª
frase) e do artigo 23.º dos Estatutos;
 
4) A exigência, para o direito de ser eleito para os órgãos sociais, de que o candidato seja sócio efectivo com mais de cinco anos consecutivos de filiação associativa é justificada, não discriminatória e adequada ao fim que visa prosseguir;
 
5) No artigo 12.º, n.º 3, os Estatutos do BENFICA equiparam, para o efeito da titularidade dos direitos associativos, o tempo de filiação associativa do sócio efectivo que tenha decorrido numa categoria anterior ao tempo decorrido já como sócio efectivo;
 
6) Assim, um sócio efectivo com mais de cinco anos consecutivos de filiação associativa, mas menos de cinco anos naquela categoria de sócio efectivo, goza, sem margem para dúvidas, do direito de ser eleito para os órgãos sociais do BENFICA, por aplicação dos respectivos Estatutos;
 
7) A equiparação de direitos não diz apenas respeito aos sócios auxiliares, mas também aos sócios honorários e aos sócios beneméritos que, nesta qualidade, tenham mais de cinco anos consecutivos de filiação associativa e que passem à condição de sócios efectivos (artigo 12.º,
n.ºs 3 e 4, dos Estatutos), o que mostra também que o tempo de filiação consecutiva como sócio, exigido para se ser titular de alguns direitos, se satisfaz com uma filiação em categoria diversa da de sócio efectivo;
 
8) A conclusão referida resulta logo da interpretação literal, meramente declarativa, do artigo 12.º, n.º 3, dos Estatutos, e que corresponde também à razão de ser da exigência acrescida de tempo de filiação associativa efectuada para se poder ser eleito e ser titular dos órgãos sociais;
 
9) E ela decorre também do facto de a exigência de um tempo mínimo de filiação como sócio efectivo levar a resultados verdadeiramente absurdos, para os casos de sócios auxiliares menores e atletas (não poderiam ser eleitos para os órgãos sociais do BENFICA antes de decorridos cinco anos sobre a sua maioridade ou antes de decorridos cinco anos sobre o momento em que deixaram de ser sócios atletas, respectivamente);
 
10) A conclusão referida não é, por outro lado, contrariada, mas antes reforçada, pelo disposto no artigo 23.º do Estatutos, sobre a orgânica do CLUBE, que tem de ser entendido em conjugação com as normas sobre direitos dos sócios, como impõe o elemento sistemático de
interpretação;
 
11) Em face dos Estatutos, não pode haver qualquer dúvida de que o sócio BRUNO CARVALHO reúne todos os requisitos exigidos pelos Estatutos do BENFICA para se candidatar aos órgãos sociais deste, e, designadamente, para se candidatar a Presidente da Direcção do BENFICA;
 
12) Aliás, se dos Estatutos resultasse qualquer dúvida – que não resulta – sempre ela haveria de ser resolvida no sentido da solução que menores distinções introduzisse entre sócios e que menos restringisse os seus direitos sociais, isto é, que reconhecesse o direito de ser eleito para os órgãos sociais;
 
13) Desde que se verifiquem os restantes requisitos legais e estatutários, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral do BENFICA está obrigado a receber uma lista candidata aos órgãos sociais que integre o SÓCIO BRUNO CARVALHO (ou outro nas mesmas condições), não a podendo rejeitar com fundamento na falta de elegibilidade do referido candidato;
 
14) O Presidente da Mesa da Assembleia Geral do BENFICA é o garante da legalidade no seio do CLUBE, devendo cumprir e fazer cumprir, com todo o rigor, os preceitos estatutários, pelo que, gozando claramente o referido SÓCIO, nos termos dos Estatutos, do direito de ser eleito, não pode negar-se a reconhecer-lho;
 
15) Apenas se da interpretação dos Estatutos resultasse qualquer dúvida sobre o direito de ser eleito do SÓCIO BRUNO CARVALHO – que não resulta, como se disse –, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral deveria convocar uma Assembleia Geral para a resolver, já que os Estatutos atribuem claramente à própria Assembleia Geral, e não ao Presidente da sua Mesa, a competência para interpretar os Estatutos, nos termos do artigo 42.º, n.º 4, dos Estatutos;
 
16) Sem alterar os Estatutos, a Assembleia Geral não poderá deliberar no sentido de não reconhecer a um sócio que preencha as condições estatutárias, como é o caso do SÓCIO BRUNO CARVALHO, o direito de ser eleito para os órgãos sociais, pois tal deliberação violaria os Estatutos e seria discriminatória, pelo que seria inválida e poderia ser impugnada judicialmente;
 
17) A rejeição, por falta de elegibilidade, de uma candidatura aos órgãos sociais um sócio com mais de cinco anos de filiação associativa mas menos de cinco anos como sócio efectivo, além de violar frontal e grosseiramente os Estatutos do BENFICA (artigo 12.º, n.ºs 1, alínea d), 2 e 3), seria uma infracção que poderia constituir os seus autores em responsabilidade disciplinar, e, eventualmente, em responsabilidade civil (caso causasse prejuízos aos excluídos);
 
18) Tal exclusão em violação dos Estatutos inquinaria todo o processo eleitoral a partir desse momento, tornando inválida qualquer deliberação electiva que viesse a ser tomada em reunião da Assembleia Geral destinada à eleição dos órgãos sociais, pelo que essa deliberação electiva – essa eleição – poderia ser impugnada perante os tribunais nacionais.
 
Eis, salvo melhor, o nosso Parecer.
Coimbra, 25 de Maio de 2009
 
PAULO MOTA PINTO
Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
 



Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Bruno Carvalho em 15/05/09 | comentar | 76 comentários

 

“O terceiro lugar no Campeonato Nacional e a eliminação da Taça de Portugal nos quartos de final, constituem resultados que não podem, nem devem, ser considerados como normais em função dos investimentos realizados e, sobretudo, das expectativas criadas, após a conquista do Campeonato na época transacta."
Luís Filipe Vieira
in Relatório e Contas da SLB Futebol, SAD – 2005/2006
 
 
“…, não posso considerar a época desportiva 2006/2007 como exemplar, ainda que se tenha revelado como a mais competitiva dos últimos anos, com o título a ser decidido nos últimos 45 minutos da última jornada. Tenho bem presente que o sucesso financeiro, apesar de crucial e inegociável, não é tudo na vida da Benfica Futebol SAD.
… Temos uma excelente equipa e um corpo técnico de levado valor, ambos em comunhão total com os adeptos.”
Luís Filipe Vieira
in Relatório e Contas da SLB Futebol, SAD – 2006/2007
 
 
“É sabido que a época passada foi frustrante no que ao futebol profissional diz respeito, é um sentimento que partilho, mas nunca podemos perder de vista o horizonte."
Luís Filipe Vieira
in Relatório e Contas da SLB Futebol, SAD – 2007/2008
 
 
"Partilho da frustração e da desilusão de todos os que estão nesta sala.
Esperava mais da equipa, não o nego.
Mas é em momentos como este que não podemos perder o norte.
Temos de mudar e vamos mudar!
Mas não devemos deixar que as desilusões nos desviem do caminho traçado."
Luís Filipe Vieira
na Sobreda da Caparica, após a inauguração da sede da filial 
Sport Charneca da Caparica e Benfica - 11 Maio 2009
 
 
 
Palavras para quê?
 
Bruno Carvalho

 




Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

Bruno Carvalho em 11/05/09 | comentar | 76 comentários

 

Li com atenção os posts de Júlio Machado Vaz e Pedro Ribeiro e cumpre-me esclarecer várias coisas.
 
Por um lado, quando criei o “Novo Benfica” com o António Souza-Cardoso estava longe de imaginar que 10 meses depois estaria na corrida eleitoral para a presidência do Benfica, até porque confiava que Rui Costa e as contratações sonantes realizadas pudessem acabar com o permanente ciclo de derrotas. Quem tiver alguma dúvida sobre isso poderá consultar o que escrevi e rapidamente perceberá que é verdade o que digo.
 
Por outro lado, nunca perguntámos a nenhum dos bloggers do “Novo Benfica” qual era a sua posição face à actual Direcção e ao seu Presidente. Cada um sempre foi livre de escrever o que bem entendeu sem qualquer interferência minha, como é evidente.
 
Como todos são livres de escrever o que entendem, também me sinto no direito de o fazer.
 
Parece-me natural que neste momento se fale da minha candidatura neste blog, assim como se fala nos jornais, na rádio e na televisão (excepto na Benfica TV). Estou certo que quando outras candidaturas surgirem quem escreve neste blog as analisará, se assim entender fazê-lo.
 
Quanto ao comunicado que sou acusado de ter colocado neste blog indevidamente, apenas tenho isto a dizer: esse comunicado foi colocado na Lusa, enviado para todos os jornais e teve a devida divulgação nos media. Apenas o coloquei no nosso blog por respeito aos nossos leitores, uma vez que foi aqui que anunciei a minha candidatura que estava a ser colocada em causa.
 
Ao contrário do que diz o Júlio, eu nunca usei o blog como instrumento de campanha.
 
Poderia ter denunciado aqui que uma pessoa dentro do Benfica (não é difícil perceberem de quem se trata) telefonou para as redacções dos jornais a dizer que eu não tinha condições para me candidatar, mesmo sabendo que isso não era verdade. Essa mesma pessoa telefonou para a Direcção de Informação da RTP para que não passassem um entrevista minha cujo um pequeno excerto tinha passado no programa “Trio de Ataque”.
 
Podia contar, ainda, algumas cenas rocambolescas e quase surreais que já me aconteceram, mas que resolvi calar por entender que o “Novo Benfica” não era o espaço certo para as divulgar.
 
Confesso que tenho pena que Júlio Machado Vaz e Pedro Ribeiro abandonem o blog e sobretudo pela forma como escolheram fazê-lo, bem diferente da forma que eu usei quando os convidei. Admito que o problema deve ser meu, mas eu nunca teria atitude idêntica sem falar primeiro com as pessoas antes de tornar a minha decisão pública.
 
O Júlio Machado Vaz escreveu sempre quando quis, nos dias em que quis, e o que quis. O mesmo se passa com o Pedro Ribeiro que foi rápido em estar de acordo com o Júlio Machado Vaz, apesar de o seu último post datar de 5 de Dezembro de 2008, isto é, há mais de 5 meses atrás e os dois anteriores serem respectivamente de Outubro e Agosto de 2008.
 
Cumpre-me, ainda, esclarecer que ao contrário do que muitos julgam eu não tinha abandonado o “Novo Benfica”. O que fiz foi desobrigar-me de escrever sempre às quintas-feiras e pedir para mim, com todo o respeito pelos meus companheiros de blog, um estatuto idêntico ao que já tinham Júlio Machado Vaz e Pedro Ribeiro, isto é, não ter dia fixo para escrever.
 
Finalmente, gostaria de dizer que, caso os meus companheiros de blog sintam o mesmo que Júlio Machado Vaz e Pedro Ribeiro, estou disponível para encerrar o blog.
 
Fico a aguardar as respectivas posições.
 
Saudações benfiquistas.
 
Bruno Carvalho
 



Domingo, 10 de Maio de 2009

Bruno Carvalho em 10/05/09 | comentar | 109 comentários

    

 
Ontem ficámos, uma vez mais, arredados da Liga dos Campeões.
 
A única dúvida que subsiste é se o Benfica ficará em 3º ou 4º lugar como, aliás, tem acontecido nos últimos anos:
 
- época 2005/06: 3º
- época 2006/07: 3º
- época 2007/08: 4º
- época 2008/09: 3º ou 4º
 
Vários comentadores vêm agora atirar as culpas para Quique Flores e vêm falar de um lamentável fim de época do Benfica.
 
Mas o ano passado não foi igual?
 
No ano passado não ficámos em 4º, a 23 pontos do campeão, e não tivemos 3 treinadores?
 
Será que a culpa é mesmo de Quique Flores, de Chalana, de Camacho, de Fernando Santos, de Ronald Koeman e tantos outros treinadores que não têm sucesso no Benfica?
 
O que é que têm em comum as épocas 2005/06, 2006/07, 2007/08 e 2008/09?
 
Quem é o ponto comum neste desastre total?
 
Quique pode ter muitas culpas este ano, mas seguramente não tem culpa nenhuma do 4º lugar do ano passado pois nem sequer estava em Portugal.
 
Rui Costa pode ter muitas responsabilidades no insucesso deste ano como Director Desportivo, mas como jogador seguramente ninguém lhe poderá apontar nada. Era um jogador fantástico que deu tudo sempre que jogou pelo Benfica.
 
Então quem é que está sempre presente nos sucessivos fracassos e tenta sempre sacudir qualquer responsabilidade?
 
É fácil perceber que o ponto comum de tantos fracassos é só um: Luís Filipe Vieira.
 
O Presidente do Benfica é o responsável máximo do clube. É ao Presidente do Benfica e à sua total incapacidade de liderança que se ficam a dever tão frustrantes resultados.
 
Depois de gastar 30 milhões de euros a época passada e ter voltado a gastar mais 30 milhões este ano, a única coisa que se consegue são 3ºs e 4ºs lugares.
 
Anda-se a desbaratar dinheiro, anda-se a comprometer o futuro do Benfica para nada!
 
O Benfica existe para ganhar. A marca Benfica necessita de vitórias. O Benfica tem de ser campeão e estar todos os anos na Liga dos Campeões.
 
Até quando vamos suportar tantas derrotas e tantas desculpas?
 
Bruno Carvalho
 



Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Bruno Carvalho em 05/05/09 | comentar | 71 comentários

 

Confrontado com o teor da notícia publicada hoje no Jornal “Record”, nos termos da qual uma alegada fonte do “clube da Luz” vem garantir que eu não preencho os requisitos para ser eleito Presidente do Sport Lisboa e Benfica, referindo ainda que foi emitido um parecer nesse sentido, venho informar o seguinte:
 
1 – É falso que alguma vez me tenha sido comunicado ou transmitido por quem quer que seja, muito menos, por qualquer órgão ou elemento dos órgãos sociais do Benfica, qualquer parecer ou entendimento de que a minha condição de sócio do Sport Lisboa e Benfica não reúne os requisitos necessários à minha candidatura a Presidente do Sport Lisboa e Benfica.
 
2 - Quero igualmente dizer aos sócios do Sport Lisboa e Benfica que me tornei sócio deste clube no ano de 2002, ou seja há 7 anos, o que mais não foi do que a mera formalização da minha condição de adepto do Benfica desde que nasci, tendo-me nessa altura sido atribuída a qualidade de sócio auxiliar correspondente, pelo facto de residir no Porto.
 
3 - Em Abril de 2008, solicitei a alteração da minha qualidade de sócio auxiliar correspondente para a qualidade de sócio efectivo, a qual, nesse seguimento, me veio a ser confirmada e atribuída, sendo actualmente portador do cartão de sócio efectivo nº 70853.
 
4 - Face ao teor e espírito dos Estatutos do Sport Lisboa e Benfica, designadamente do seu artº 12, nºs 1, alínea d), 2 e 3, entendo reunir as condições necessárias e bastantes para me candidatar à eleição de Presidente do Benfica.
 
5 – Quero igualmente assegurar a todos os benfiquistas que este tipo de comportamentos e expedientes de alegadas fontes do Benfica de tentarem ganhar na secretaria o que receiam perder nas eleições, não só não me intimidam, como reforçam o incentivo e a necessidade da minha candidatura à Presidência do Clube, em nome de um Benfica livre, de todos e para todos os seus sócios, e digno da sua história que nos cumpre honrar.
 
Bruno Carvalho




bloggers
António de Souza-Cardoso (perfil)
Bruno Carvalho (perfil)
Eduardo Sá (perfil)
José Esteves de Aguiar (perfil)
Miguel Álvares Ribeiro (perfil)
Paulo Ferreira (perfil)
Pedro Fonseca (perfil)
Raul Lopes (perfil)
visitantes em linha
posts recentes

Temos Benfica!

Venha o Porto!

As grandes noites europei...

Estamos outra vez de Volt...

Não podemos ficar a "boia...

mais comentados
429 comentários
295 comentários
280 comentários
253 comentários
últ. comentários
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
MiguelAgradeço a participação, sempre oportuna e c...
Meu Amigo Está engana. fomos nós, sem apoio ou ace...
arquivos

Setembro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds