Quarta-feira, 31 de Março de 2010

Hoje decidi publicar - com a devida vénia - um texto que me foi enviado por um amigo, Francisco Andrade, o qual tem vindo recentemente a este blog, enriquecer vários posts com os seus oportunos comentários.

 

Definição de prioridades e objectivos

 

A nível nacional – penso que claramente deveria ser assumido um clube nacional, de preferência ligado ao Universo Benfica (uma filial do Glorioso), que fosse considerado parceiro estratégico preferencial para a política de empréstimos do SLB. Este parceiro poderia jogar ou na Divisão de Honra ou até na Liga Principal. Este ponto parece-me claro, tal como me parece claro que o parceiro existe e deve ser assumido sem rodeios: o Clube Desportivo Santa Clara (filial do Benfica) é o clube que deverá ser sempre, em cada época, ser tido como parceiro preferencial do Benfica para efeito de empréstimos de jogadores. Mesmo que o CD Santa Clara ascenda à Primeira Liga. Penso até que, nesse caso, haveria enorme vantagem em fazer rodar jogadores do Benfica na filial açoriana.

 

Uma outra filial do Benfica poderá e deverá ser assumida como importante, a médio prazo – trata-se do Sport Benfica de Castelo Branco (actualmente a disputar a III Divisão Nacional). De momento, ainda não constitui uma alternativa muito interessante, pois não será aliciante para jovens jogadores oriundos das camadas jovens do Benfica estagiarem numa III Divisão. Mas bastaria a subida do Benfica albicastrense à 2.ª B e já teríamos uma situação equivalente à que o Benfica, durante algumas épocas e com custos bem mais elevados, foi mantendo através da sua equipa B (penso que não faz qualquer sentido manter equipas B em divisões secundárias, quando o Universo Benfica até dispõe de estruturas capazes de garantirem a rodagem dos seus jogadores nessas divisões). Mas claro que o ideal seria que o Benfica de Castelo Branco conseguisse regressar, a médio prazo, ao lugar que já lhe pertenceu na Divisão de Honra. 

 

Independentemente do Universo Benfica e da posição que venha a ocupar num futuro próximo o Sport Benfica de Castelo Branco, parece que uma boa política seria a de privilegiar alguns clubes (também da zona Norte do País, porque não) que sejam rivais daqueles que têm merecido situação de preferência por parte de FC Porto – por exemplo, sabe-se que o FC Porto tem mantido uma ligação especial com o FC Penafiel – não deveria o Benfica apoiar, por exemplo, o Lousada? Sabe-se também que o Varzim SC é a filial n.º 1 do FC Porto. Não deveria o Benfica manter entre os seus parceiros preferenciais o FC Rio Ave?

 

A nível internacional

Penso que em termos estratégicos fará todo o sentido pensar num sério apoio, a médio prazo, ao Sport London e Benfica. Um Benfica a disputar as competições profissionais do futebol inglês, mesmo que nas divisões secundárias, seria uma aposta estratégica da maior importância. A competitividade do futebol inglês, o elevado ritmo de jogo presente em todas as competições profissionais inglesas, seriam garantes, à partida, da utilidade para o Benfica de fazer rodar jogadores seus na filial londrina. Acresce a visibilidade e prestígio para o clube que decorreriam dessa participação nas ligas profissionais inglesas, sem esquecer o facto de serem essas precisamente as competições que mais possibilitam uma angariação de receitas bem necessária ao futebol de alta competição.

No entanto, parece também evidente que a utilização do Sport London e Benfica como verdadeira equipa B do Benfica, se bem que desejável, terá custos e ainda levará alguns anos a alcançar.

Penso, no entanto, que o objectivo de fazer rodar jogadores do Benfica, oriundos das camadas de formação, no exigente e competitivo futebol inglês, deve ser desde já assumido sob outras formas que possibilitem, com redução dos custos iniciais, tirar partido do elevado ritmo competitivo das ligas inglesas. Parece-me que, independentemente do sucesso que possa vir a ter a médio prazo o Benfica londrino, deve ser procurado de imediato um parceiro estratégico nos campeonatos de Inglaterra, para efeitos de cedência de jovens jogadores do Benfica. O ideal seria um clube com prestígio, um histórico do futebol inglês, a militar na segunda liga e desejoso de um regresso a um lugar entre os maiores. Um clube que verdadeiramente interessasse a um jovem jogador português representar. E, se possível, integrado numa zona de Inglaterra em que houvesse uma razoável representatividade da comunidade luso-brasileira. Parece-me que, de momento, dois históricos clubes do futebol inglês preencherão estes requisitos: o Nottingham Forest e o Leeds United, dois históricos do futebol inglês e europeu (atenção que o Nottingham Forest, para além de também equipar de vermelho, foi por duas vezes campeão europeu de futebol!!), ambos desejosos de voltarem a ocupar o lugar que já foi seu. Penso que poderia ser equacionada uma parceria, preferencialmente com o Nottingham Forest, tendo até em vista, no campo das contrapartidas, algum apoio que pudesse ser angariado em Inglaterra com destino ao Sport London e Benfica.  

  

Um caso especial – é talvez difícil falar de um caso muito particular no Universo Benfica, um clube que disputa a primeira liga de um dos campeonatos menos evoluídos da Europa mas, ao mesmo tempo, o clube do Universo Benfica que está mais próximo de conseguir uma classificação que lhe dê acesso às competições europeias de clubes. Penso, por isso, que alguma atenção deve ser dada ao FC RM Hamm Benfica, clube do Luxemburgo (e que conta com entusiástico apoio da comunidade portuguesa naquele País). A este respeito devo notar que, apesar de tudo, poderá ser bem mais aliciante, para um jovem jogador oriundo das camadas jovens do Benfica, actuar num campeonato de primeira divisão (por fraco que seja) com a perspectiva de conquistar títulos nacionais e de participar em competições europeias, do que actuar numa III Divisão portuguesa, que era o que acontecia com a equipa B do Benfica. 

 

Estes são apenas alguns pontos que eu gostaria de ver debatidos na Nação Benfiquista. Sem esquecer o trabalho que haverá por fazer noutros núcleos benfiquistas, sobretudo na Europa. Onde também poderia ser equacionado o desenvolvimento de um trabalho junto da comunidade portuguesa em França, onde existe já uma pequena estrutura benfiquista em Paris, o Sport Paris e Benfica – e esse sim, teria todas as possibilidades de se tornar a médio prazo num dos grandes clubes de França. 

 

 

 

 




13 comentários:
De Tiago a 1 de Abril de 2010 às 17:58
Noticia de ultima hora.

Benfica contrata Hélio Faria, lateral/ala direito para o seu plantel.
www.averdadedaliga.blogspot.com


De rcoelho a 1 de Abril de 2010 às 00:16
boa noite,

conforme prometi no post anterior, venho agora colocar um comentário mais profundo sobre este tema que me fascina enquanto adepto do futebol e principalmente do Benfica (espero que 4000 caracteres cheguem).

Em primeiro lugar volto a chamar a atenção para o meu post anterior em que alertei para a questão "educação" dos jovens da nossa formação, acho muito complicado deslocalizar os nossos jovens para locais remotos e até mesmo para países estrangeiros como é referido no post original, acho que para além da componente desportiva o Benfica deve ter sempre muito cuidado e atenção com a vertente social e educativa dos jovens. É esse o apanágio que nos deve guiar, somos o Benfica.

Em segundo lugar aproveito para enaltecer o trabalho que tem vindo a ser feito na formação desde a inauguração do Caixa Futebol Campus. Temos entre todos os escalões umas 10 a 15 equipas cada uma com 20 a 30 jogadores que disputam variadíssimos campeonatos. A organização de toda esta estrutura deve ser monumental, no outro dia via a Benfica TV (Todos por Um) em que descreveram sumariamente os Torneios de Páscoa e amigáveis em que as nossas equipas vão participar nesta quadra e a logística desta operação é enorme. Se visitarem os sites com informação sobre as classificações das nossas equipas de formação verificam que no geral estamos muito bem dominando em praticamente todos os escalões, para além da nossa equipa sénior, esta época tem tudo para ser memorável também na formação.

Se recordarmos que há poucos anos a nossa estrutura formativa era extremamente frágil concluimos que o CFC foi uma boa aposta e que a seu tempo trará os seus frutos, mas também é preciso ter um pouco de calma e aguardar que o tempo tenha tempo de se concretizar. Nos dias de hoje já temos um bom conjunto de jovens das últimas 2 ou 3 fornadas de jogadores, a rodar em equipas da 1ª e 2ª liga, o Miguel Rosa, o Ruben Lima, o Yartey , o David Simão, o Nelson Oliveira, o João Pereira, o Leandro Pimenta e tantos outros que nem me lembro...... temos o Miguel Vítor e o Roderick a rodar com os seniores e temos mais uma fornada prestes a sair para rodar também na actual equipa de juniores.

Na minha opinião falta um elo de ligação mais eficaz entre os juniores e os seniores que para mim seria indiscutivelmente a Equipa B desde que lhe fosse permitido o acesso à Liga de Honra. Esta equipa seria um misto de jogadores mais experientes e até mesmo em fim de carreira, jogadores promovidos dos juniores e jovens contratados no estrangeiro. Esta equipa estaria naturalmente sediada no CFC e permitiria a tal continuidade dos jovens no que diz respeito à continuidade dos estudos e à sua estabilidade familiar. Da equipa B para os seniores ou para empréstimos a equipas mais cotadas em Portugal ou não seria o passo seguinte na carreira já devidamente formados e com mais certezas em relação ao futuro.

Penso mesmo que uma Equipa B na liga de honra seria um sucesso financeiro para o Benfica em termos de transmissões televisivas no seu canal ou na venda a operadoras. Alguém duvida que suscita mais interesse qualquer um jogo de uma equipa do Benfica B do que qualquer outra equipa dessa mesma liga???? eu não....

Voltando um pouco atrás, eu acho que faz sentido o Benfica ter locais de formação em pontos mais distantes do País, competiria ao Benfica fazer um acompanhamento desses centros fornecendo técnicos e supervisionando o trabalho realizado. Acho mesmo que o Benfica teria capacidade técnica e logística (talvez falte a económica) para criar centros de formação em locais mais remotos, Angola e Brasil seriam os mais óbvios mas tinha bastante interesse ver um projecto desta natureza nascer em países da Europa.

Espero ter contribuído positivamente para a discussão.

Saudações Benfiquistas.


De José Esteves de Aguiar a 1 de Abril de 2010 às 11:12
Caro rcoelho:
Agradeço-lhe mais esta excelente contribuição para o blog de todos nós, Benfiquistas.
A solução por si preconizada acaba por ser uma evolução positiva da que foi apresentada neste post.
É, sem dúvida, de enaltecer o excelente trabalho que está a ser realizado no Benfica ao nível da formação, nomeadamente graças ao Caixa Futebol Campus.
A criação de centros de formação noutros locais do nosso País e mesmo noutros Países, criteriosamente escolhidos, poderia levar à captação de bons jogadores, sem o inconveniente de os "arrancar" precocemente do seu meio familiar e escolar.
O problema poderá ser a dificuldade em concretizar e articular essas estruturas, para além do óbvio esforço financeiro que tal acarretaria.
Em todo o caso, parece-me inequivocamente um assunto sobre o qual a Direcção do Benfica deverá debruçar-se, com a devida atenção.
Um abraço.


De Francisco Andrade a 1 de Abril de 2010 às 18:59
Este comentário de rcoelho foca aspectos interessantes e pertinentes. No entanto, gostava de me debruçar sobre os seguintes pontos:
quando se fala na "deslocalização" dos "nossos jovens para locais remotos e até para paises estrangeiros" do que é que estamos a falar? Penso que a ideia dos empréstimos surge aqui como apoio à rodagem dos jogadores que, uma vez terminada a possibilidade de participação na equipa junior, ainda não tenham capacidades nem ritmo competitivo para ingressarem na equipe principal. E não tenhamos dúvidas: por muito bons que sejam os resultados da formação (e temos boas razões para esperar grandes melhorias a esse nível, nos próximos anos) raros serão os casos em que os jogadores poderão passar de imediato da equipe junior para a equipe senior. E como bem refere rcoelho "falta um elo de ligação mais eficaz entre os juniores e os seniores". A questão é saber se temos mesmo que ter uma equipe B do Sport Lisboa e Benfica, ou se podemos equacionar aproveitar as filiais do Benfica. Esta última solução, a meu ver, poderá ter algumas vantagens: menores custos e promoção de clubes que, envergando a mesma camisola e emblema, possam reforçar o peso do Benfica nas instâncias federativas e Liga (por um lado), com garantias de que, se algum desses clubes chegar à 1ª Liga, FCP e Sporting encontrarão nesses clubes adversários fortemente empenhados (o que não acontece com todos os emblemas da 1ª liga....). Mas, sobretudo, utilizar estruturas de acolhimento em que os jovens possam ter a honra de continuar a jogar de águia ao peito...e para mim, o Benfica de Castelo Branco ou o Santa Clara são inequivocamente equipes do Benfica... Precisaremos mesmo de uma equipe B? (Claro que, mais adiante, poderia ainda fazer sentido alargar a formação a outros pontos do País, mas isso já obriga a outro tipo de actuação e de custos). Relativamente a clubes estrangeiros, o interesse estaria em ter equipes do Benfica em campeonatos competitivos (hipótese do Benfica de Londres) ou em manter uma parceria estratégica com clubes que pudessem ser interessantes para o Benfica e que pudessem estar interessados no Benfica. Para ilustrar melhor: eu, como benfiquista, não estou interessado numa parceria como a que o Sporting aceitou com o Manchester United, em que o controlo passa para o estrangeiro e os resultados da formação acabam por beneficiar terceiros. Mas uma parceria entre Benfica e Nottingham Forest, em que o Benfica pudesse retirar benefícios de tal colaboração, nomeadamente pela rodagem, em regime de empréstimo, de jogadores oriundos dos juniores nos campeonatos profissionais de Inglaterra, já me pareceria bem.
Por fim, apenas mais uma nota: eu não concordo com o actual regime de empréstimos entre equipes da 1ª liga, mas a verdade é que o FCP tem tirado enorme partido dessa possibilidade. Face a isto, não deveria o SLB definir também uma política de empréstimos? Para mim, esta questão é importante e deve por nós ser debatida...


De Francisco Andrade a 3 de Abril de 2010 às 12:57
Esta questão da política de empréstimos não pode ser dissociada de um tema absolutamente fulcral na perspectiva do que queremos (ou não queremos) para o Benfica: a política de criação, desenvolvimento e fortalecimento das Casas do Benfica e das filiais do Benfica.
Temos que reconhecer que a actual Direcção fez um enorme e a todos louvável esforço no sentido do fortalecimento das Casas do Benfica e dos laços entre estas e o SLB. Aceito que este teria que ser o primeiro e decisivo passo, cujos frutos começam já a ser visíveis. A consolidação de um Universo de público, sócios e simpatizantes do Glorioso tinha que ser o passo inicial.
Mas se as Casas do Benfica são importantes para levar o SLB aos quatro cantos de Portugal, da Lusofonia e do Mundo, convém não perder de vista a existência de filiais e perceber que, estrategicamente, as filiais do SLB podem ser de enorme utilidade para o desenvolvimento de um verdadeiro (e pujante) Universo Benfica. A este propósito, quer-me parecer que uma aposta clara no CD Santa Clara e no Benfica de Castelo Branco (a nível de formação, prospecção, política de empréstimos) poderia ser uma excelente aposta. Já quanto às filiais no estrangeiro, há que analisar as diferentes situações e fazer opções, de acordo com aquilo que possa ser mais útil ao desenvolvimento a médio e longo prazo das estruturas filiais do Glorioso, tendo sendo em vista o fortalecimento e a universalidade do Glorioso SLB.


De J Francisco a 31 de Março de 2010 às 18:28
Boas,
Não sou a favor de empréstimo para equipas nacionais. Nenhum jogador poderia disputar os campeonatos nacionais estando inscrito em outro clube também nacional. Quem quisesse fazer rodar jogadores teria que os emprestar a clubes estrangeiros. Até tinha muitas vantagens para os jogadores. Pela verdade desportiva... já chega de habilidades . Benfica... sempre!
J Francisco


De Anónimo a 31 de Março de 2010 às 19:22
Há que distinguir as situações: eu também entendo que não deveriam ser permitidos os empréstimos a clubes que jogam na mesma Liga (na mesma divisão) porque isso pode falsear (e vem falseando) a verdade desportiva. Mas não podemos fechar os olhos ao que se passa à nossa volta - os regulamentos são totalmente permissivos e uma política continuada de total falta de escrúpulos por parte do clube do Porto oriental tem conseguido retirar enormes dividendos dos empréstimos de jogadores. Em resposta a isto, não deveria o Benfica ter uma política de empréstimo de jogadores? Também concordo que será preferível que as verdadeiras promessas possam estagiar em campeonatos estrangeiros (sobretudo na Liga inglesa); mas porque não tentar também, a nível nacional, potenciar o crescimento de clubes filiais do Benfica? Pelo menos esses garantem-nos total empenho nas partidas contra o FCP...o que, infelizmente, não acontece com todos os emblemas da primeira Liga.


De José Esteves de Aguiar a 31 de Março de 2010 às 22:58
Caro J Francisco: Concordo com a sua ideia - a rodagem de jogadores em clubes do mesmo campeonato gera situações pouco claras.
Um abraço.


De rcoelho a 31 de Março de 2010 às 17:47
mais tarde leio mais atentamente e comento de forma diferente, mas em primeira análise penso que as ideias postadas pecam no habitual.

Á normalmente a tendencia de falar em empréstimos de jovens jogadores para aqui e para ali e esquece-se o fundamental, muitos são jovens e não vão ser profissionais de futebol e afastá-los das suas familias, das suas casas e das suas escolas com tão tenra idade poderá ter efeitos muito nefastos na sua vida...... para além do futebol.

depois leio e comento melhor.


De José Esteves de Aguiar a 31 de Março de 2010 às 23:18
Caro rcoelho: a questão que levanta, relativamente ao afastamento de jovens jogadores das respectivas famílias, é um ponto muito importante, a levar em consideração. Em qualquer situação, é fundamental que os jovens atletas sejam devidamente acompanhados e enquadrados, quer estejam emprestados a outros clubes, ou no centro de estágio do Benfica.
Um abraço.


De Anónimo a 31 de Março de 2010 às 17:46
Muito bem observado e concordo plenamente com o post.. E mais aliciante jogar numa equipa de um campeonato de 1ºdivisão ou mesmo 2ºdivisão inglesa que na nossa terceira.. os jovens so desaprendem e nao evoluiem na 3ºdivisão.


De José Esteves de Aguiar a 31 de Março de 2010 às 23:19
Caro Anónimo: obrigado pela sua participação.
Um abraço.


De João Soares a 31 de Março de 2010 às 11:42
Fico contente por alguém se ter lembrado do Benfica de Castelo Branco, eu não sou de lá mas são os meus pais, logo, tenho um sentimento especial pelo clube!!!!!!!
Castelo Branco é uma zona de muitos, mas mesmo MUITOS, Benfiquistas e o Benfica ao fazer algum tipo de protocolo com o clube da cidade só iria ajudar o clube de Castelo Branco a subir no futebol nacional, o que poderia judar na vida de alguns jovens futebolistas do Benfica na integração no futebol profissional...


Comentar post

bloggers
António de Souza-Cardoso (perfil)
Bruno Carvalho (perfil)
Eduardo Sá (perfil)
José Esteves de Aguiar (perfil)
Miguel Álvares Ribeiro (perfil)
Paulo Ferreira (perfil)
Pedro Fonseca (perfil)
Raul Lopes (perfil)
visitantes em linha
posts recentes

Temos Benfica!

Venha o Porto!

As grandes noites europei...

Estamos outra vez de Volt...

Não podemos ficar a "boia...

mais comentados
429 comentários
295 comentários
280 comentários
253 comentários
últ. comentários
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
Quem é o melhor guarda-redes do Benfica depois de ...
MiguelAgradeço a participação, sempre oportuna e c...
Meu Amigo Está engana. fomos nós, sem apoio ou ace...
arquivos

Setembro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds